achocolatati: Rarijack (Rarijack)
*aponta ícone* bah, não tinha nenhuma imagem melhor de Rarijack pra fazer ícone aqui. Também, dois pôneis em uma imagem de 100×100 pixels acabam não sendo muita coisa.

Que seja. O que interessa é o conteúdo da postagem, de qualquer jeito.

Amanhã (tecnicamente hoje, já que são 23:55 no momento que escrevo este comentário entre parênteses e estou recém no início da postagem) será o primeiro 12 de junho que não passo solteira. Nunca me preocupei com isso, para falar a verdade. No máximo eu achava que talvez alguém fosse se declarar pra mim anonimamente ou coisa parecida.

Claro, não ficava muito decepcionada quando algo do tipo não acontecia. Mesmo se tivesse alguém gostando de mim (o que já seria difícil, pois as pessoas com quem eu falava eram professores ou garotas em geral, e só tinha mais afinidade com os primeiros), essa pessoa viraria motivo de chacota. Eu já era motivo de chacota, seja por ser "nerd", "feia", "espantadora de homens", "demônio" ou qualquer insulto que lhes vinha à mente. Enfim, o assunto da postagem não é esse.

É que tem gente que valoriza demais "ter alguém". Como se você não pudesse ser uma pessoa solteira e realizada, ou como se não importasse se a pessoa com quem você está é abusiva e violenta. Não acho que é ruim ter um relacionamento, ou que não vale a pena. Mas não é como se sua vida não valesse a pena só porque você não tem alguém que te ama.

E, mesmo entre as pessoas que amam, tem gente obsessiva que mata a parceira quando ela quer se separar ou que não quer que a outra pessoa tenha vida própria. Ou as que se apaixonam por uma idealização da outra pessoa, e querem que ela se enquadre.

Várias pessoas acabam em relacionamentos ruins por quererem ter um relacionamento. Não falo de relacionamentos leves ou sem compromissos; que são saudáveis se estiver claro para todas as partes o que pode ou não ser feito, mas de casos nos quais a pessoa "aguenta" porque não acha que vai conseguir mais ninguém.

Sempre pensei assim. Só que antes não havia namorado ninguém para confirmar, então não cheguei a declarar esta ideia com tanta força. Porém, agora estou bem feliz com meu relacionamento atual, e posso confirmar que o que faz uma relação ser especial não é a existência dela, e sim a existência da pessoa com quem você quer compartilhar as coisas da vida.

Feliz Dia dos Namorados. E que os solteiros não fiquem se lamentando ou tentando "caçar" alguém somente pela pressão social. Todos podemos ser indivíduos, independentemente de ter alguém para ficar junto neste dia ou não.

Beijos a todos. =*
achocolatati: (fancy)
Bem, eu li este texto aqui ontem. Achei parcialmente certo, e parcialmente exagerado.

Em relação a Equestria Girls, aposto que o material de marketing (trailer e sinopse) foram feitos para atrair garotinhas. O negócio do "real girls" não se refere a "garotas de verdade precisam ter amor por moda/querer ser rainhas do baile", e sim um modo de falar para criancinhas que "agora elas vão ser humanas que vão à escola, assim como vocês". Uma das ideias originais de MLP era de que as pôneis podem ter personagens realísticas, mesmo vivendo em um mundo diferente; mas, hey, é um material de propaganda para um desenho para garotas. Infelizmente, este tipo de propaganda não investe em coisas legais que podem atrair outros públicos.

Mas esta postagem não é sobre isso; e sim sobre porque Twilicorn é um modelo ruim para as garotinhas.

Ler o resto )

Eu acredito que a 4ª temporada vai mostrar um ângulo relativamente realístico da vida de Twilight como princesa, e que ela provavelmente vai voltar "ao normal" no fim do 2º episódio. Entretanto, acho que Magical Mystery Cure nunca será completamente redimido.

Profile

achocolatati: (Default)
Tati Sant'Anna

August 2013

S M T W T F S
    123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Syndicate

RSS Atom

Most Popular Tags

Style Credit

Expand Cut Tags

No cut tags
Page generated Jul. 26th, 2017 10:42 am
Powered by Dreamwidth Studios